Google+ Badge

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Produtor de "2012" vetou cena de destruição em Meca


Para quem gosta de filmes-catástrofe, ver a própria cidade destruída em um blockbuster de Hollywood pode ser bem divertido. Afinal, ninguém aguenta mais ver Nova York indo pelos ares. Em "2012", que será lançado no fim do ano no Brasil e nos EUA, a estátua do Cristo, no Rio de Janeiro, e a Basílica de São Pedro, no Vaticano, se despedaçam enquanto São Francisco é engolida por um enorme cratera. O filme do diretor Roland Emmerich, o mesmo de "Independence Day" e "O Dia Depois de Amanhã", se inspira em profecias maias que prevêem o fim do mundo no ano de 2012.

Em entrevista ao UOL Cinema, Harald Kloser, produtor e co-roteirista de "2012", disse que não tinha nenhuma predileção por destruir importantes símbolos católicos. "Queríamos retratar um situação em que as orações não pudessem frear os acontecimentos, porque a natureza é mais forte que a religião", disse Kloser.

"No nosso roteiro original, também prevíamos a destruição da Caaba [a construção mais sagrada para os muçulmanos, localizada no pátio da grande mesquita de Meca, na Arábia Saudita]. Mas eu disse para o Roland: ‘Não, eu não quero acabar sendo morto por causa disso'". Segundo Kloser, o filme mostra apenas orações ao redor do local.
Fonte:/uolcinema.blog

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Bem vou ficando por aqui amanhã postarei sobre uma lenda literária:
Sherlock Holmes


Porque cultura é a única coisa que não podem tirar da gente pense nisto boa terça bjossssssss



" informação passa....
Conhecimento fica"

Mini biografia de Leonardo da Vinci



Introdução

Leonardo da Vinci e gênio são sinônimos. Há meio milênio suas realizações nas artes, na engenharia e na ciência são expressões dos ideais humanistas e científicos que moveram a Renascença, momento histórico em que a humanidade despertou das trevas da Idade Média. Naqueles tempos, ninguém representou melhor a opção humana pelo mundo natural em detrimento do sobrenatural do que da Vinci.

Leonardo era movido pela vontade de conhecer. Dotado de um talento inigualável, ele não só produziu obras-primas nas artes, como também construiu projetos arquitetônicos e de engenharia revolucionários e esboçou invenções que estavam séculos à frente de seu tempo. Seus pensamentos abrangiam da astronomia à história natural. Suas realizações incluem a construção de canais e a drenagem de pântanos, a invenção de um método de impressão e de um telescópio. Seus estudos sobre a anatomia do corpo humano levaram-no a desenvolver uma teoria sobre a circulação sanguínea e a descrever com precisão o desenvolvimento dos fetos. Entre seus projetos mais impressionantes está a de uma máquina voadora e de um veículo capaz de mover-se sozinho.

Mona Lisa
Reprodução
"Mona Lisa", de Leonardo da Vinci
Mas foi na arte que a genialidade de da Vinci mais se popularizou. Duas de suas obras-primas, a “Mona Lisa” e a “A última ceia”, encantam multidões do mundo inteiro e inspiram artistas de todas as áreas há cinco séculos. Leonardo produziu obras de artes que fundiram as inovações técnicas renascentistas de composição, proporções ideais e perspectivas. O caráter do artista era tão complexo e misterioso que ele tornou-se uma figura lendária desde a sua juventude. Aliás, mistérios não faltam no legado de da Vinci. A identidade do rosto enigmático da “Mona Lisa” ou os possíveis “códigos secretos” presentes em suas obras são temas constantemente provocadores da imaginação de estudiosos e artistas. Conheça nas próximas páginas mais sobre a vida e a obra de Leonardo da Vinci.

O que foi o Renascimento
O Renascimento ou Renascença é o período histórico na Europa que marca o fim da Idade Média e o nascimento da Idade Moderna. Assim foi chamado porque nele ocorre um “renascimento” do interesse pelas culturas clássicas da Grécia e de Roma antigas. É durante a Renascença que acontecem as grandes navegações com a descoberta e exploração de novos continentes e as revoluções científicas, filosóficas e artísticas que tiveram como destaque os trabalhos de Galileu Galilei, Maquiavel, René Descartes e William Shakespeare, entre outros. Os valores e ideias cultivados pelos principais expoentes do Renascimento procuraram libertar a mente do homem dos dogmas religiosos ortodoxos impostos durante a Idade Média, para que ele pudesse pensar livremente de forma investigativa e crítica, e incentivar novas formas de criação. Essas características ficaram conhecidas como Humanismo. A principal fase da Renascença se estendeu do final do século 14 até meados do século 17. Leonardo da Vinci foi um perfeito representante do “homem da Renascença”, um indivíduo de talentos múltiplos que irradiava saber.

A vida de Leonardo da Vinci
Leonardo da Vinci nasceu em Anchiano, em 15 de abril de 1452. Esse vilarejo era próximo da cidade de Vinci, na província de Florença (região da Toscana, Itália). Ser Piero, seu pai, era um bem-sucedido proprietário de terras e tabelião. Sua mãe era uma camponesa chamada Caterina. Mas, eles não eram casados. Após o nascimento, Leonardo foi criado pelo pai numa fazenda e sua mãe acabou por casar-se com um artesão.Durante a infância, o pai de Leonardo logo percebeu o talento artístico do filho, que chegou a pintar um dragão no escudo de um dos camponeses. Para fazer isso carregou para o quarto todas as estranhas criaturas que encontrou pela fazenda, como lagartos, grilos, serpentes, borboletas, gafanhotos e morcegos. Leonardo foi educado de acordo com os padrões da época, o que incluía aprender a ler e a escrever e aritmética. Somente quando ficou bem mais velho, ele se interessou seriamente pelo latim e pela matemática avançada, aprendendo ambos por conta própria.

Apesar de não haver retratos de Leonardo em sua juventude – seus autorretratos já o mostram em idade avançada – sua beleza tornou-se lendária. Relatos feitos por contemporâneos o mostram como um jovem alto, belo, forte, de longos cabelos loiros e com movimentos de pura graciosidade. Seus biógrafos associam sua perfeição física ao seu poder de encantamento e destacam também seu amor por cavalos e seu hábito de comprar os pássaros engaiolados para devolver-lhes a liberdade. Este último um sinal de sua fascinação pela liberdade de voar, que rendeu diversos esboços de asas e projetos de máquinas voadoras ao longo de sua vida. Sobre suas pretensões, da Vinci declarou que queria realizar milagres.
Aos 15 anos, Leonardo virou aprendiz do artista Andrea del Verrocchio, um típico artesão renascentista. Lá desenvolveu suas habilidades de pintar e de esculpir. Ele passou algum tempo também no ateliê vizinho, do artista Antonio Pollaiuolo. Aos 20 anos de idade Leonardo foi aceito na associação de pintores de Florença e permaneceu trabalhando na região até 1481. No ano seguinte, ele mudou-se para Milão para fazer alguns trabalhos para o duque Ludovico Sforza. Da Vinci viveu durante 17 anos na cidade. Duas de suas magistrais obras-primas foram pintadas nos primeiros anos em Milão: o quadro “A virgem dos rochedos” e o mural “A última ceia”. Mas a provável verdadeira razão da ida de Leonardo para Milão era erigir uma escultura de cinco metros de altura em bronze em homenagem a Francesco Sforza, fundador da dinastia a qual o duque pertencia. Mas a obra não foi concluída. Em função da iminência da guerra contra as tropas francesas, o bronze necessário foi usado na feitura de canhões.

A tomada de Milão pelo exército francês no final de 1499 levou Leonardo a deixar a cidade. Ele passou por Mantua e Veneza e alguns meses depois chegou a Florença, onde foi recebido com honras de filho célebre. Dois anos depois ele virou general-engenheiro das tropas papais sob comando de César Bórgia. Durante dez meses ele enfrentou condições de risco atravessando o território italiano. Nesse percurso, ele esboçou mapas topográficos que criaram os fundamentos da moderna cartografia. É dessa época seu encontro com Maquiavel.
Após a temporada com as tropas papais, Leonardo retornou para Florença, encarregado de um ousado projeto de construir um canal que ligasse a cidade ao mar. A ideia mostrou-se inviável, mas os traçados estabelecidos por ele foram usados para a construção de uma moderna autoestrada séculos depois. Nesse novo período em Florença, além dos trabalhos encomendados a ele, da Vinci dedicou-se intensamente a estudos científicos. Um deles foi o trabalho de dissecação no hospital Santa Maria Nuova que o levou a surpreendentes descobertas sobre o corpo humano. Um dos mais importantes trabalhos artísticos feitos por Leonardo nesse período foi a pintura da “Mona Lisa”.
A admiração pelas obras de da Vinci, apesar de muitas delas não terem sido concluídas, tinha se espalhado. Em 1506, o governador francês em Milão solicitou a presença de Leonardo para a realização de vários projetos arquitetônicos. Assim como em suas estadias em Florença, Leonardo se cercava de jovens aprendizes que vinham de vários lugares para aprenderem com o mestre. Com a expulsão dos franceses de Milão em 1513, da Vinci mudou-se novamente. Desta vez, ele foi para Roma e ficou hospedado com Giuliano de Médici, irmão do papa Leão 10.º. Após três anos em Roma, com 65 anos de idade, ele aceitou o convite do rei Francisco 1.º e partiu para a França. Lá fez pequenos trabalhos de pinturas, um projeto arquitetônico de um palácio e seus jardins e organizou seus escritos científicos. Em 2 de maio de 1519, Leonardo da Vinci morreu na cidade francesa de Cloux. Seus bens artísticos e científicos ficaram para Francesco Melzi, um jovem nobre que era um de seus pupilos.

A arte de Leonardo da Vinci
Apenas 17 pinturas feitas por Leonardo da Vinci sobreviveram aos tempos. Ainda assim algumas delas estão inacabadas. E mesmo com tão poucos trabalhos, da Vinci representou o melhor que a Renascença nos proporcionou em termos artísticos.
Leonardo da Vinci
© istockphoto.com / Michael C.
"Mona Lisa" em estampa de selo coreano
A sua mais famosa obra é o quadro “Mona Lisa”, que está em uma sala especial no Museu do Louvre, em Paris (França), desde 1804. Nas poucas vezes em que saiu oficialmente do Louvre – em 1911, o quadro chegou a ser roubado por um funcionário italiano do museu, mas foi recuperado dois anos depois em Florença –, o quadro atraiu multidões. Sua passagem por Nova York provocou congestionamentos e 1,6 milhão de pessoas foram vê-la numa exposição de sete semanas. Mesmo no impressionante acervo do museu francês, o quadro é a principal atração para os cerca de seis milhões de visitantes anuais que por lá passam.
Pintado entre 1503 e 1506, o quadro também conhecido como “La Gioconda” retrata Lisa del Giocondo, esposa de um mercador florentino. O senso de harmonia presente nessa pintura sintetiza a ideia de da Vinci de uma ligação cósmica entre a humanidade e a natureza. Apesar de basear-se nos modelos simples de retratos, na “Mona Lisa” o artista mostra toda sua genialidade em cada detalhe. Da Vinci faz o uso da perspectiva com todas as linhas convergindo para um único ponto de fuga que fica atrás da cabeça da Mona Lisa. Seus conhecimentos sobre anatomia, obtidos em sua temporada num hospital onde dissecou e estudou mais de trinta cadáveres, aparecem nos exatos traçados do corpo retratado, como nos detalhes das mãos. No quadro, ele consegue criar a sensação de feições tridimensionais a partir do uso de luz e sombra. As formas emergem das sombras e se misturam nelas, sem bordas definidas em função do uso de uma gradação contínua de tonalidades sutis de cores. Outra característica marcante do retrato é o enigmático sorriso no rosto da modelo



Ele é o resultado de músicos e bufões contratados por Leonardo para distrair “La Gioconda” enquanto pousava para o retrato. A “Mona Lisa” foi imediatamente reconhecida como uma obra-prima e por séculos tem influenciado artistas das mais diferentes “escolas”. O quadro tornou-se não só o mais popular como também o mais reproduzido de todos os tempos. Entre as versões modernas estão a de Marcel Duschamp que fez uma Mona Lisa de cavanhaque, em 1919, e os silkscreens de Andy Warhol, de 1963.
No novo milênio, o sucesso do livro e do filme “Código da Vinci” tornou ainda mais evidente e popular uma outra obra do artista: “A última ceia”. Considerada a pintura religiosa mais venerada em cinco séculos, o mural foi feito, segundo da Vinci, para pintar o homem e a intenção de sua alma. O momento em que, segundo o cristianismo, Jesus anuncia que um de seus discípulos iria traí-lo e a reação de cada um foi transformado pela arte de da Vinci em uma das mais impressionantes obras-primas já criadas. Em vez das técnicas tradicionais do afresco, como eram usadas naquele tipo de trabalho, Leonardo optou por uma emulsão de óleo e têmpora. O problema é que a pintura não aderiu bem à alvenaria e ela começou a se desfazer ainda na época do artista. A obra foi restaurada, mas muito pouco da pintura original permaneceu intacta. “A virgem dos rochedos” é uma outra obra-prima do artista. Pintada no período inicial de sua atividade artística, ela traz tons crepusculares e um delicado naturalismo para representar o tema da Virgem ajoelhada diante do Menino Jesus e de São João Batista. A obra que está no Museu do Louvre é considerada, por críticos e estudiosos, de uma perfeição plástica absoluta e uma das mais belas obras de arte do mundo. Mesmo com o quadro coberto por camadas de verniz e após sua transferência de seu painel de madeira original para uma tela, o que impede qualquer limpeza que não lhe cause danos, é possível distinguir sua notável luminosidade. Na análise de Kenneth Clark, as obras de Leonardo trazem um conflito entre sua estética e seu modo científico de abordar a pintura, além de mostrarem sua apaixonada curiosidade pelos segredos da natureza e a fantástica acuidade do seu olhar sobre eles. Segundo Clark, a estética nas obras de da Vinci é profundamente romântica enquanto que seu modo científico, como o manifestado em “A última ceia”, estabeleceu as bases do academicismo que veio a seguir.

A ciência de Leonardo da Vinci
Leonardo da Vinci foi um artista-cientista. Nos cadernos que deixou com esboços e anotações de ideias estão as provas de sua imaginação fértil. Elas abrangiam vários campos das ciências e das artes, como anatomia, engenharia, astronomia, matemática, história natural, música, escultura, arquitetura e pintura. Sua versatilidade lhe fez precursor de várias invenções e descobertas que ocorreriam nos séculos seguintes. Uma das mais impressionantes é seu esboço de uma máquina voadora que serviu de ponto de partida séculos depois para o desenvolvimento do helicóptero. Outra foi o que ficou conhecida como o “automóvel”, um veículo capaz de mover-se sozinho. Para fazer isso, Leonardo esboçou um complicado sistema de engrenagens que acionam molas que funcionam como motor dessa máquina.
Fontes
CLARK, Keneth. Leonardo da Vinci. São Paulo: Ediouro, 2003.
STRICKLAND, Carol. Arte comentada: da pré-história ao pós-moderno. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.
www.britannica.com

domingo, 2 de agosto de 2009


Bem pessoal desejo a todos uma ótima semana minha proxima postagem será sobre Leonardo da Vinci

O mundo vai mesmo acabar em 2012?


Introdução fim do mundo
Existem incontáveis teorias sobre como o mundo vai acabar e como - ou se - a vida na Terra deixará de existir. Na virada do século 21, teorias da conspiração disseram que o Bug do Ano 2000 era apenas uma pequena parte da devastação iminente: O novo século provocaria destruição total, e ninguém sobreviveria. Outros acreditam que a Terra está ameaçada por uma nova era do gelo, que matará todos os seres viventes. De acordo com astrônomos, daqui a bilhões de anos, o sol se tornará um gigante vermelho, expandindo para um tamanho maior que a órbita da Terra e consumindo a Terra no processo. Mesmo se o planeta, de alguma maneira, sobreviver, o sol irá se encolher paulatinamente, tornando-se uma estrela anã branca e esfriando gradualmente até não poder aquecer nada mais no sistema solar.
Seattle embaixo d'água depois que a península de Puget Sound é inundada

Há teorias, ainda, que garantem que o fim do mundo será provocado pela colisão do planeta Terra com o planeta Nibiru, em 2012. Essa última teoria levou à criação do filme "2012", que estréia mundialmente em novembro de 2009.
Mas é um outro filme, lançado em 2006, que fala da previsão do fim do mundo segundo o calendário maia. "Apocalypto", de Mel Gibson, segue a jornada de um homem da escravidão até voltar para sua família. Durante o curso do filme, uma jovem profetiza que um homem será responsável pelo fim dos maias, varrendo sua civilização da face da Terra. No mundo real, alguns teóricos não acreditam que um homem seja o fim dos maias - em vez disso, um evento celestial será a causa. O calendário maia até nos dá uma data para esse evento teórico: 21 de dezembro de 2012.Como os maias desenvolveram um calendário que poderia prever o fim do mundo? Os maias realmente acreditavam que nos restam agora apenas três anos, e se sim, porque seria 21 de dezembro de 2012 o dia do apocalipse? Leia a próxima página para descobrir se o fim está próximo.
A longa contagem até o fim
Os maias têm um sistema complexo de calendários, e cada calendário tem uma proposta diferente. Acredita-se que sejam 20 calendários, embora apenas 15 tenham sido revelados ao público. Os maias mantiveram os outros cinco um segredo dentro de sua cultura.

A Terra pode entrar numa nova era do gelo


Os calendários maias mais comumente conhecidos são:

* Calendário Tzolk'in - Usado principalmente na rotação de colheita, esse calendário permite um período de 260 dias para o preparo da terra e um período de 260 dias para crescer e colher o milho.
* Calendário Haab - Este calendário dura 360 dias, com um período de 5 dias chamado wayeb (dias sem nome). Parecido com o calendário gregoriano que nós usamos atualmente, esse calendário segue o ciclo do sol.
* Ciclo de calendário - Este calendário deu aos maias uma forma de gravar a história em longos períodos. É uma combinação do Tzolk'in e do Haab, e passa por 52 anos. Cinquenta e dois anos era mais do que a média de vida útil dos maias quando o ciclo de calendário foi criado. Contudo, os historiadores maias queriam criar um calendário que pudesse ser usado para gravar a história por séculos. Isso levou ao calendário de Longa Contagem, que incorpora uma era chamada Grande Ciclo, e cuja duração é de aproximadamente 5.125,360 anos. A ideia de que o mundo está próximo do fim vem do calendário de Longa Contagem.
Michel de Nostredame, também conhecido como Nostradamus, foi um médico do século 16 que também tinha um pendor para a escrita. Ele escreveu uma série de profecias, focando principalmente em guerras, desastres e destruição. Usando metáforas e mistério, Nostradamus escreveu essas profecias como quadras, ou versos de quatro linhas. Seus seguidores dizem que ele previu o surgimento de Hitler, o pouso da Apollo na Lua e os ataques de 11 de setembro de 2001. Seus críticos dizem que suas escritas são nada mais do que antigos horóscopos, escritos para contar eventos que vão, sem dúvida, ocorrer recursivamente. Para saber mais sobre Nostradamus e suas profecias,
Em algum momento durante a Inquisição Espanhola, os maias pararam de usar o calendário de longa contagem - pelo menos até onde sabem os espanhóis. A história maia começou a gravar eventos tanto no calendário de longa contagem quanto no gregoriano. Os acadêmicos então compararam as datas em ambos os calendários e confirmaram o início do atual Grande Ciclo como 13 de agosto de 3114 A.C., fazendo com o que o fim do quarto Grande Ciclo fosse 21 de dezembro de 2012. Teóricos acreditam que esse será o dia em que o mundo vai acabar e todos os seres viventes na Terra vão morrer.

Contudo, os próprios maias não acreditavam que o mundo estaria se encaminhando para o fim no final desse ciclo. Na verdade, eles acreditavam ser um momento de grande celebração e sorte quando o planeta passa por todo um Grande Ciclo. Afinal, nós passamos com segurança por três outros Grandes Ciclos, e o mundo ainda está girando.

O que faz este ciclo tão diferente, alguns acreditam, é que ele termina num solstício de inverno (hemisfério norte), ou de verão (hemisfério sul). Neste solstício em particular, o sol estará alinhado com o centro da Via Láctea. Esse evento particular acontece a cada 26 mil anos. Mas essa ocorrência celestial realmente irá acabar com o mundo e matar a todos nós? Provavelmente, não. Muitos acadêmicos vêem essa teoria como extremistas tentando lucrar com os medos alheios.

Então, o que vai acontecer em 21 de dezembro de 2012? É provável que o dia passe sem nenhum evento significativo. As pessoas podem nem mesmo perceber que é o dia do juizo final, embora isso seja improvável, considerando como a imprensa vai tratar o assunto. Nós apenas temos de esperar e ver o que acontece - e, se Deus quiser, poder atualizar este artigo em 22 de dezembro de 2012.

Sites relacionados

* The How and Why of the Mayan End Date
* USA Today

Mais sites interessantes

* X-Facts Research
* Nasa - Ask an astrobiologist
* The myth of Nibiru and the end of the world in 2012
* Armageddon from planet Nibiru in 2012? Not so fast - Discovery Space
* Institute for Human Continuity

O leite com gás da Coca-Cola


Ainda não chegou por aqui, mas não dá para não falar: Coca-Cola acabou de colocar no mercado americano– especificamente em Nova Yorque–, um leite desnatado efervescente! Chamado de Vio “Vibrancy drink”, não precisa ser refrigerado e vem em quatro sabores “naturais”: Very Berry; Peach Mango; Tropical Colada e Citrus Burst (seja lá o que for isso). Lá, custa U$ 2,50 a garrafa. A peça publicitária diz que a bebida é “como uma festa de aniversário para um urso polar”. A-hã. Então, tá
O site tenta vender o negócio como algo saudável: tem cálcio, antioxidantes e vitamica C. E 26 gramas de açúcar por garrafinha de 240 ml… A bebida é parte de uma iniciativa da empresa, chamada Projeto Vida, de desenvolver produtos a base de leite. Se for um sucesso nos EUA, pode ser lançada no resto do mundo. Nós realmente estávamos precisando disso. Muito mesmo.
Tem maluco e gosto para tudo fazer o quê !!!!!!!!!!!!

Fonte:gastrolandia.uol.com

"Consegui uma dobradinha que nem mesmo eu esperava", diz Cielo

Com o ouro no peito, Cielo disse que não esperava conquistar dobradinha no Mundial
Cielo bate recorde do campeonato e vibra com marca que iguala a lenda Alex Popov
Oi estou voltando a postar e nada melhor para começar quer está noticia dos ouros de Cielo
ésar Cielo é o melhor do mundo nas duas provas mais rápidas da natação. A frase parece estranha até para o brasileiro, que acaba de conquistar o ouro nos 50m livre do Mundial de Roma. Há dois dias, ele já tinha vencido os 100m livre no Foro Itálico, em Roma, com direito a recorde mundial.

"Bater na frente é sempre bom. No mundial, quem chega primeiro é o melhor, é provado. Consegui fazer uma dobradinha que não imaginei que fosse conseguir, não", disse o brasileiro, de 22 anos.Desta vez, a conquista veio sem o recorde mundial, o que o deixou surpreso. Mas o detalhe não importou muito. "Estava esperando tempos mais baixos, mas acho que os 100m afetaram toda a série. Ficar com o maiô no doping, esperando a coisa acontecer, acabou machucando um pouco a gente", afirmou Cielo

Com o ouro, ele igualou o russo Alexander Popov, o único a ser campeão olímpico e mundial na sequência, nos 50m livre. "Fiquei sabendo disso há 30 segundos. Mas durante a temporada, a gente tem alguns pensamentos. Fica fazendo série forte atrás de série forte e no meio do treino imagina essas coisas. Mas estar aqui, vivenciando isso, é um sonho de qualquer nadador. Vencer as duas provas mais nobres da natação é uma honra enorme".
Cielo foi campeão da prova mais rápida das piscinas em Pequim-2008 e Roma-2009. Popov alcançou o feito em Barcelona-1992 e Roma-1994.

Rival elogia
Medalhista de prata, o francês Fred Bousquet elogiou o desempenho do brasileiro. "Eu o vi crescendo nesses anos", disse. "Mas acho melhor ver ele batendo na minha frente agora do que no futuro". Os dois treinam em Auburn, lado a lado, sob o comando do australiano Brett Hawke.
"Não foi o melhor tempo, mas ainda assim, estou muito orgulhoso do que fiz nesse mundial. Mas estou feliz de estar no pódio ao lado dos meus amigos Amaury (Leveaux, bronze) e César", completou Bousquet.

Fonte:Uol esporte