Google+ Badge

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Sem comentários: Vans estampa clima tropical - Florais predominam c...

Sem comentários: Vans estampa clima tropical - Florais predominam c...: "Seguindo uma das principais tendências para verão 2011/12, os florais, Vans traz um pouco do clima tropical nas estampas da estação. Denom..."

Vans estampa clima tropical - Florais predominam coleção verão 2011/12 da marca

Seguindo uma das principais tendências para verão 2011/12, os florais, Vans traz um pouco do clima tropical nas estampas da estação. Denominado Aloha, os lançamentos foram inspirados livremente nas camisas tradicionais utilizadas nas ilhas do Havaí. O lançamento está previsto para o final de maio.
 
 
Os calçados são adaptações dos clássicos Reissue e Era e ganham aspecto brilhoso devido aos materiais utilizados. Os de cano alto, criados para prática de skate, são feitos em couro, enquanto os de cano baixo tem como material a camurça. A cartela de cores é condizente com a proposta da linha, com cores vivas, com destaque para laranja, amarelo, azul e verde.
Fotos: Divulgação

Sem comentários: Conceito inédito para calçados é apresentado - FCC...

Sem comentários: Conceito inédito para calçados é apresentado - FCC...: " ..."

Conceito inédito para calçados é apresentado - FCC cria matéria-prima baseada em fontes vegetais renováveis


 

Nesta quarta-feira, dia 6 de abril, a FCC, empresa de matéria-prima para calçados, apresentou, em Novo Hamburgo (RS), uma solução sustentável inédita no mundo. Trata-se do Fortiprene TR Verde, material termoplástico para solados e palmilhas, que utiliza fontes renováveis em sua composição, diminuindo a dependência de petróleo. O principal diferencial do produto é a manutenção de características como flexibilidade, aparência e resistência, que até então não vinham sendo alcançados em componentes provenientes de fontes vegetais.
  
De acordo com Julio Schimitt, diretor da FCC, a inovação pode ser considerada uma solução a curto prazo. Os fatores que frisam esta perspectiva são o custo, igual aos praticados pelos demais produtos já existentes no mercado, e também a mesma utilização de maquinário nas linhas de produção, evitando troca de equipamentos. Um dos objetivos é que 50% da produção seja do novo Fortiprene até 2013, alcançando 30 mil toneladas de capacidade. 
Para promover o lançamento da tecnologia, que acontecerá na Fimec 2011, a empresa criou um calçado protótipo, com 80% de sua construção feita em matéria-prima renovável. Essa criação se restringe ao lançamento, conforme explica Afonso Felix, responsável pelo desenvolvimento dos produtos: "A FCC não lançará o sapato. Criamos a alternativa sustentável para designers e marcas de calçado utilizarem em seus produtos".
Fote: UseFashion

7ª edição do Festival de Rua



A 7ª edição do Festival de Rua começa a partir desta sexta-feira, 8 de abril, em Salvador. O evento contará com a participação de 20 grupos, provenientes de 11 países diferentes. Nesta edição, o Festival será dedicado à memória de Ramiro Musotto, músico, compositor e produtor argentino-baiano. O evento irá passar por Salvador, Sobradinho e Paulo Afonso. Acesse o site e veja a programação completawww.festivalderua.com.

Sem comentários: Gisele Bündchen assina coleção para C&A - Top também será estrela da campanha da marca

Sem comentários: Gisele Bündchen assina coleção para C&A - Top também será estrela da campanha da marca

Sem comentários: Gisele Bündchen assina coleção para C&A - Top tamb...

Sem comentários: Gisele Bündchen assina coleção para C&A - Top tamb...: "A übermodel Gisele Bündchen está de volta à C&A. Mas, pela 1ª vez, a top assinará 3 coleções da rede de fast fashion, sendo que no p..."

Gisele Bündchen assina coleção para C&A - Top também será estrela da campanha da marca

A übermodel Gisele Bündchen está de volta à C&A. Mas, pela 1ª vez, a top assinará 3 coleções da rede de fast fashion, sendo que no próximo dia 28 de abril, uma delas já estará nas araras das lojas.
 
Esta 1ª coleção tem inspiração no lifestyle de Gisele e destaca o estilo clean, com looks urbanos para o dia a dia, como shorts jeans e blusa de malha, e peças mais sofisticadas para a noite, como blazeres e saias em renda. Destaque para preto e cinza na cartela cromática.
   
Assinadas pela top, as próximas duas coleções ainda não tem data para serem lançadas. A ideia é que seja sempre antes de um período comemorativo, segundo informações da assessoria. Além de assinar as coleções, Gisele também será estrela das campanhas.
Fotos: Sebastian Kim



Fonte:Usefashion.com/fernanda maciel

Sem comentários: Bailarinos dançam sobre pipocas em vitrine - Varej...

Sem comentários: Bailarinos dançam sobre pipocas em vitrine - Varej...: "Os turistas que passavam recentemente por Stuttgart, cidade alemã, não precisaram escolher entre um programa cul..."

Bailarinos dançam sobre pipocas em vitrine - Varejista Breuninger aposta no balé e atrai centenas de pessoas


Os turistas que passavam recentemente por Stuttgart, cidade alemã, não precisaram escolher entre um programa cultural ou fazer compras. Para unir balé e varejo de moda, a rede Breuninger apostou em vitrines vivas, nas quais os dançarinos não eram o único elemento inesperado.  

Mantendo a proposta inusitada, nada de palco de madeira. Os bailarinos se apresentaram sobre milhares de pipocas, que até fizeram parte da performance.  Ao fundo - colorido com azul e cinza -, elementos como estrelas luminosas, saias em movimento e sapatilhas decoram o cenário. 
O evento chamou a atenção de pedestres e atraiu centenas de pessoas enquanto era demonstrado. Veja acima um vídeo que mostra parte da preparação e trechos da apresentação:

segunda-feira, 4 de abril de 2011

O fim da roupa barata? Será?

A Li & Fung anunciou na semana passada o seu veredicto sobre a era da roupa barata. Depois de três décadas em que os consumidores viram o vestuário ficar cada vez mais barato e os compradores buscavam incessantemente menores custos de produção, uma nova era está agora a começar.
 
dummy
Fim da roupa barata
Paralelamente ao anúncio de quebra de recorde em termos de lucros, o gigante do sourcing mundial anunciou que é opinião da empresa que estamos perante o fim de uma era. Depois de três décadas onde se assistiu ao decréscimo contínuo dos custos de produção de vestuário, chegou agora o momento de inflexão dessa tendência e de começarmos a constatar que as recentes subidas nos custos dos factores de produção da fileira moda iniciaram um período de subida irreversível.
Para o gigante mundial da logística e sourcing, esta inversão de ciclo não afectará a sua dinâmica vencedora e de crescimento, pelo que espera que os seus resultados operacionais mais que dupliquem até 2013, para os mil e 500 milhões de dólares.
A Li & Fung, que fornece os maiores retalhistas mundiais onde se incluem nomes como a Wal-Mart e a Gap, anunciou assim que se iniciou uma nova era no sourcing, com custos mais altos, à medida que os produtores de vestuário começam a passar para os seus clientes os aumentos de preços das matérias-primas e dos custos do produção na China.
«O principal tópico na cabeça de toda a gente neste negócio é que os custos mais elevados estão cá para ficar. No entanto, os retalhistas estão, actualmente, indecisos se passam esses aumentos para os clientes ou se acomodam os aumentos através da perda de margem», referiu Bruce Rockowitz, presidente da Li & Fung.
Para o director-geral do grupo, William Fung, a falta de mão-de-obra existente actualmente na China é outro dos factores que está a pressionar os preços de custo e fez já com que os salários subissem 20% este ano. Constatamos, assim, o fim da contribuição da China para a deflação mundial dos preços do vestuário a que temos vindo a assistir durante os últimos anos.
Os lucros deste grupo sedeado em Hong-Kong atingiram, o ano passado, o seu valor mais alto de sempre, crescendo 27% para os 550 milhões de dólares. Os resultados operacionais aumentaram 42% para os 725 milhões de dólares e as vendas subiram 19%.
A subida dos custos de mão-de-obra na China tem levado a que a Li & Fung deslocalize parte da produção que gere para países como o Bangladesh, o Vietname e a Indonésia. Apesar desta transferência, a produção realizada na China viu o seu peso relativo aumentar na carteira de encomendas da empresa. Em 2010, 57% do negócio da Li & Fung provinha de fábricas chinesas, um crescimento de 3% face a 2009.
 
Fonte Portugal Textil